Realidade Notícias - Sua fonte de notícias na cidade de Uberlândia e região

Vídeo: Homem desobedece toque de recolher em cidade mineira, desacata policiais e leva socos

Minas Gerais

Circula por meio das redes sociais um vídeo quer mostra uma ação da Polícia Militar contra um homem de 31 anos, na última sexta-feira (26). O fato ocorreu na praça Santa Luzia, no Centro de Patrocínio, região do Alto Paranaíba, onde um grupo de pessoas descumpria o decreto da cidade, que orienta a população a ficar em casa após as 22h. No registro, os policiais desferem socos no sujeito, e tentam imobilizá-lo no chão enquanto as pessoas em volta filmam e pedem que as agressões parassem. Segundo a PM, o homem desacatou as autoridades e agiu de forma violenta.

Conforme é possível ver no vídeo, três policiais militares lutam para imobilizar o homem no chão, e desferem socos contra ele. As pessoas em volta pedem à polícia para que não bata no homem, justificando que ele seria “trabalhador”. A pessoa que está gravando o vídeo diz: “Não é assim que se trata um cidadão de bem e que paga imposto. O cara é trabalhador, estava de boa comendo um sanduíche, trabalhou a semana inteira, e vocês vem fazer violência com o cara”. Veja o vídeo:

 

De acordo com a polícia, a Sestran (Secretaria Municipal de Segurança Pública e Trânsito) estava fazendo o patrulhamento para orientar as pessoas a irem para casa após o horário estabelecido pelo decreto. Nisso, o homem em questão, que não usava máscara, teria insultado a equipe com palavrões, além de dizer que eles “não eram autoridade”. Os fiscais acionaram a polícia, que foi até o local para ficar a par da situação.

Desacato

A polícia diz que após chegar lá, o homem também os xingou com as mesmas palavras, e então deram voz de prisão ao sujeito por desacato à autoridade. O sargento disse para o indivíduo que o levaria até a delegacia para registrar a ocorrência, entretanto, ele ficou inconformado com a situação e declarou que para tirá-lo dali a polícia deveria usar da força ou atirar. Segundo os policiais, o sargento advertiu o homem sobre o crime que ele estava cometendo e que, se ele não acatasse, a equipe precisaria usar outros meios.

Ainda assim, o sujeito recusou-se a cumprir as ordens da PM, que informou que quando se aproximou do homem para algemá-lo, ele empurrou os policiais, e acabou sendo imediatamente imobilizado no chão. De acordo com a polícia, mesmo caído no chão, o homem desferiu socos e chutes contra os militares, que tentavam conter as pernas e braços do sujeito e o mandavam parar. A polícia disse que por conta da resistência ativa do indivíduo, a equipe teve que usar as chamadas técnicas de imobilização, que consistem em socos no tronco e na cabeça.

Por fim, os militares colocaram o homem na viatura e o levaram até o pronto socorro municipal para tratar dos ferimentos causados pela ação. Em seguida, a PM apresentou o sujeito na delegacia pelos crimes de desacato e descumprimento das medidas sanitárias. Segundo a polícia, o indivíduo disse que sua intenção era mesmo resistir aos policiais, e que eles teriam que levá-lo morto, pois ele está revoltado com o decreto municipal e com as medidas do país contra a Covid-19. O homem ainda acrescentou que pretende colocar fogo na prefeitura de Patrocínio.

Posicionamento da polícia

A Polícia Militar informou, por meio de nota (confira abaixo na íntegra), que foi o uso de força foi necessário para conter o homem, “uma vez que ele estava agressivo e resistente à ordem legal dada pelos militares”. A PM afirma que está apurando o vídeo da abordagem, uma vez que ele mostra apenas o momento da contenção policial. “A Polícia Militar de Minas Gerais reitera o seu posicionamento transparente de sempre agir dentro da legalidade, proporcionalidade e necessidade em suas intervenções”, diz um trecho da nota.

Nota da Polícia Militar na íntegra

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) esclarece que no dia 26.03, por volta das 23h30, policiais militares do 46º Batalhão, sediado em Patrocínio, no Alto do Paranaíba, foram acionados para apoiarem agentes de órgãos da Prefeitura Municipal, em face do flagrante descumprimento de medidas sanitárias de combate à COVID-19.  Os agentes narraram aos militares que foram desacatados por um indivíduo que se negou a cumprir as determinações legais do município atinentes à Onda Roxa. Diante dos fatos apresentados pelos agentes municipais, os militares tentaram verbalizar com o autor, ocasião em que também foram desacatados. Em virtude do desacato, foi necessário o uso de força para conter o abordado, uma vez que ele estava agressivo e resistente à ordem legal dada pelos militares. Por fim, a PMMG esclarece ainda que está apurando o vídeo que circula nas redes sociais e que mostra apenas o momento em que os militares usam de força para conter o indivíduo. A Polícia Militar de Minas Gerais reitera o seu posicionamento transparente de sempre agir dentro da legalidade, proporcionalidade e necessidade em suas intervenções.

FONTE BHAZ

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Vídeo: Homem desobedece toque de recolher em cidade mineira, desacata policiais e leva socos

Circula por meio das redes sociais um vídeo quer mostra uma ação da Polícia Militar contra um homem de 31 anos, na última sexta-feira (26). O fato ocorreu na praça Santa Luzia, no Centro de Patrocínio, região do Alto Paranaíba, onde um grupo de pessoas descumpria o decreto da cidade, que orienta a população a ficar em casa após as 22h. No registro, os policiais desferem socos no sujeito, e tentam imobilizá-lo no chão enquanto as pessoas em volta filmam e pedem que as agressões parassem. Segundo a PM, o homem desacatou as autoridades e agiu de forma violenta.

Conforme é possível ver no vídeo, três policiais militares lutam para imobilizar o homem no chão, e desferem socos contra ele. As pessoas em volta pedem à polícia para que não bata no homem, justificando que ele seria “trabalhador”. A pessoa que está gravando o vídeo diz: “Não é assim que se trata um cidadão de bem e que paga imposto. O cara é trabalhador, estava de boa comendo um sanduíche, trabalhou a semana inteira, e vocês vem fazer violência com o cara”. Veja o vídeo:

 

De acordo com a polícia, a Sestran (Secretaria Municipal de Segurança Pública e Trânsito) estava fazendo o patrulhamento para orientar as pessoas a irem para casa após o horário estabelecido pelo decreto. Nisso, o homem em questão, que não usava máscara, teria insultado a equipe com palavrões, além de dizer que eles “não eram autoridade”. Os fiscais acionaram a polícia, que foi até o local para ficar a par da situação.

Desacato

A polícia diz que após chegar lá, o homem também os xingou com as mesmas palavras, e então deram voz de prisão ao sujeito por desacato à autoridade. O sargento disse para o indivíduo que o levaria até a delegacia para registrar a ocorrência, entretanto, ele ficou inconformado com a situação e declarou que para tirá-lo dali a polícia deveria usar da força ou atirar. Segundo os policiais, o sargento advertiu o homem sobre o crime que ele estava cometendo e que, se ele não acatasse, a equipe precisaria usar outros meios.

Ainda assim, o sujeito recusou-se a cumprir as ordens da PM, que informou que quando se aproximou do homem para algemá-lo, ele empurrou os policiais, e acabou sendo imediatamente imobilizado no chão. De acordo com a polícia, mesmo caído no chão, o homem desferiu socos e chutes contra os militares, que tentavam conter as pernas e braços do sujeito e o mandavam parar. A polícia disse que por conta da resistência ativa do indivíduo, a equipe teve que usar as chamadas técnicas de imobilização, que consistem em socos no tronco e na cabeça.

Por fim, os militares colocaram o homem na viatura e o levaram até o pronto socorro municipal para tratar dos ferimentos causados pela ação. Em seguida, a PM apresentou o sujeito na delegacia pelos crimes de desacato e descumprimento das medidas sanitárias. Segundo a polícia, o indivíduo disse que sua intenção era mesmo resistir aos policiais, e que eles teriam que levá-lo morto, pois ele está revoltado com o decreto municipal e com as medidas do país contra a Covid-19. O homem ainda acrescentou que pretende colocar fogo na prefeitura de Patrocínio.

Posicionamento da polícia

A Polícia Militar informou, por meio de nota (confira abaixo na íntegra), que foi o uso de força foi necessário para conter o homem, “uma vez que ele estava agressivo e resistente à ordem legal dada pelos militares”. A PM afirma que está apurando o vídeo da abordagem, uma vez que ele mostra apenas o momento da contenção policial. “A Polícia Militar de Minas Gerais reitera o seu posicionamento transparente de sempre agir dentro da legalidade, proporcionalidade e necessidade em suas intervenções”, diz um trecho da nota.

Nota da Polícia Militar na íntegra

A Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) esclarece que no dia 26.03, por volta das 23h30, policiais militares do 46º Batalhão, sediado em Patrocínio, no Alto do Paranaíba, foram acionados para apoiarem agentes de órgãos da Prefeitura Municipal, em face do flagrante descumprimento de medidas sanitárias de combate à COVID-19.  Os agentes narraram aos militares que foram desacatados por um indivíduo que se negou a cumprir as determinações legais do município atinentes à Onda Roxa. Diante dos fatos apresentados pelos agentes municipais, os militares tentaram verbalizar com o autor, ocasião em que também foram desacatados. Em virtude do desacato, foi necessário o uso de força para conter o abordado, uma vez que ele estava agressivo e resistente à ordem legal dada pelos militares. Por fim, a PMMG esclarece ainda que está apurando o vídeo que circula nas redes sociais e que mostra apenas o momento em que os militares usam de força para conter o indivíduo. A Polícia Militar de Minas Gerais reitera o seu posicionamento transparente de sempre agir dentro da legalidade, proporcionalidade e necessidade em suas intervenções.

FONTE BHAZ

Inscreva-se Newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter e receba em primeira mão nossas novidades!
[CARREGANDO...]

Parceiros

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )