Realidade Notícias - Sua fonte de notícias na cidade de Uberlândia e região

Você, morador da zona rural, saiba como diminuir sua conta de água!

O mau uso da água na zona rural gera rios de dinheiro indo embora!

 

Estudos sobre a disponibilidade de água doce no mundo têm demonstrado um cenário de escassez devido ao crescimento populacional, que aumenta a demanda sobre a água. Outros motivos são o aumento da poluição hídrica e as crescentes demandas pela agricultura e indústria. As mudanças climáticas provocam eventos extremos, como secas (escassez da água) e inundações (que aumentam a poluição dos rios e nascentes que abastecem nossas casas). Esses acontecimentos impactam a disponibilidade e qualidade da água para os usos prioritários humanos. 

Diante dessa realidade, usar a água subterrânea torna-se uma solução viável para a disponibilidade hídrica, pois é um grande reservatório de água doce disponível importante para suprir as demandas humanas e econômicas. O uso da água subterrânea para abastecer comunidades possui diversas vantagens, como por exemplo a qualidade sanitária mais confiável quando comparado com outras fontes, levando em conta o processo natural de filtração e a purificação assegurada pela infiltração no solo e da vegetação presente.

Entretanto, atividades produtivas executadas sem manejo adequado (de qualquer forma) e sem controle em áreas rurais (agropecuária), vem comprometendo a qualidade das águas subterrâneas (poluição). Logo, as fontes de abastecimento localizadas nessas áreas estão sujeitas à contaminação pela água suja, intoxicada, resultantes dessas atividades. Segundo pesquisas, a população rural, em geral, não têm conhecimento ou não acredita no risco de contaminação pela água, justamente por ter a perspectiva que esse fluido por vir do solo é extremamente puro e adequado para consumo ou que a natureza sempre conseguirá purificar a água imediatamente. Mas, não é bem assim!

No Brasil, além da contaminação resultante de atividades agropecuárias, infelizmente, poucas residências rurais apresentam um sistema sanitário (saneamento básico) para fazer o descarte correto dos efluentes (água não potável) gerados nas suas casas, fazendas, ranchos, dentre outros. Com o passar dos anos, todas essas causas juntas podem resultar em prejuízos ambientais irreversíveis, que variam desde a degradação de áreas agrícolas (produtivas) até a indisponibilidade de reservas hídricas locais. 

Mas então, se individualmente não podemos instalar sistemas de captação de efluentes e tratamento nesses locais, o que podemos fazer para amenizar esses riscos? Existem diversas opções que podem ser levados em consideração para levantar propostas e soluções para esses problemas apresentados. 

E você pode se perguntar, mas por que se preocupar justo com a reutilização da água? Bem, se existe uma chance de diminuir o consumo geral de água em prol da disponibilidade dela por muitos outros anos, é nessa chance que devemos nos abraçar! 

Existem vários hábitos de consumo de água que podem ser mudados para fazer uma economia significativa. Então, aqui vão algumas dicas de técnicas para reusar a água em zona rural:

  1. Use o gotejamento na irrigação: A técnica de gotejamento para a irrigação direciona uma quantidade menor de água para as raízes das plantas, o que garante a cada indivíduo a quantidade necessária de água. Para os proprietários que pagam pela outorga, o retorno do investimento é rápido e vem na forma de redução de gastos financeiros. Para quem não paga, fica a tranquilidade de saber que está usando de forma responsável um recurso esgotável.
  2. Cuide do solo: A presença de curvas de nível e uma grande quantidade de matéria orgânica no solo são boas práticas para economizar no gasto de água, pois a vitalidade do solo auxilia na retenção do líquido e reduz a temperatura do solo, diminuindo a perda de água para a atmosfera (evaporação).
  3. Verifique os vazamentos: Em propriedades rurais pode ser muito comum o vazamento de pequenas tubulações. A verificação desses vazamentos deve ser uma prática constante, pois estes constituem um desperdício que pode representar centenas de reais perdidos por mês e um grande problema ambiental. 
  4. Valas de irrigação: Uma técnica muito efetiva para irrigar hortas e até mesmo plantações. Consiste na abertura de uma vala que pode ser entre uma cisterna até o local que se queira irrigar. Nesta vala é importante cobrir o fundo com um material impermeável ou mesmo pedras bem encaixadas. Desta maneira é possível criar um fluxo de água que além de levar água de chuva ou outros reaproveitamentos para irrigação ainda pode contribuir para a elevação da umidade do ar.
  5. Água de limpeza de galpões: O efluente final da limpeza de galpões pode ser direcionado para um local de depósito e posteriormente usado para irrigar plantações, hortas e jardins, pois ela é rica em nutrientes e matéria orgânica. Mas é importante estar atento a possíveis patógenos, caso haja a presença deles, a água não deve ser reusada ou então deve ser filtrada antes. 

 

De fato, essas técnicas alteram nossos hábitos e modos de vida. Experimente executá-las! No início, as novas adaptações parecem ser complicadas. Mas lembre-se, você estará colaborando com o uso racional da água. Acompanhe as publicações para ficar ligado(a) e informado(a) sobre esse tema tão importante que é o Reúso da Água!

 

Siga nossas páginas no Instagram e Facebook!

 

Autores: Projeto de extensão Água se Cuida e AQUATEC, graduandos em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Uberlândia.

 

  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Você, morador da zona rural, saiba como diminuir sua conta de água!

 

Estudos sobre a disponibilidade de água doce no mundo têm demonstrado um cenário de escassez devido ao crescimento populacional, que aumenta a demanda sobre a água. Outros motivos são o aumento da poluição hídrica e as crescentes demandas pela agricultura e indústria. As mudanças climáticas provocam eventos extremos, como secas (escassez da água) e inundações (que aumentam a poluição dos rios e nascentes que abastecem nossas casas). Esses acontecimentos impactam a disponibilidade e qualidade da água para os usos prioritários humanos. 

Diante dessa realidade, usar a água subterrânea torna-se uma solução viável para a disponibilidade hídrica, pois é um grande reservatório de água doce disponível importante para suprir as demandas humanas e econômicas. O uso da água subterrânea para abastecer comunidades possui diversas vantagens, como por exemplo a qualidade sanitária mais confiável quando comparado com outras fontes, levando em conta o processo natural de filtração e a purificação assegurada pela infiltração no solo e da vegetação presente.

Entretanto, atividades produtivas executadas sem manejo adequado (de qualquer forma) e sem controle em áreas rurais (agropecuária), vem comprometendo a qualidade das águas subterrâneas (poluição). Logo, as fontes de abastecimento localizadas nessas áreas estão sujeitas à contaminação pela água suja, intoxicada, resultantes dessas atividades. Segundo pesquisas, a população rural, em geral, não têm conhecimento ou não acredita no risco de contaminação pela água, justamente por ter a perspectiva que esse fluido por vir do solo é extremamente puro e adequado para consumo ou que a natureza sempre conseguirá purificar a água imediatamente. Mas, não é bem assim!

No Brasil, além da contaminação resultante de atividades agropecuárias, infelizmente, poucas residências rurais apresentam um sistema sanitário (saneamento básico) para fazer o descarte correto dos efluentes (água não potável) gerados nas suas casas, fazendas, ranchos, dentre outros. Com o passar dos anos, todas essas causas juntas podem resultar em prejuízos ambientais irreversíveis, que variam desde a degradação de áreas agrícolas (produtivas) até a indisponibilidade de reservas hídricas locais. 

Mas então, se individualmente não podemos instalar sistemas de captação de efluentes e tratamento nesses locais, o que podemos fazer para amenizar esses riscos? Existem diversas opções que podem ser levados em consideração para levantar propostas e soluções para esses problemas apresentados. 

E você pode se perguntar, mas por que se preocupar justo com a reutilização da água? Bem, se existe uma chance de diminuir o consumo geral de água em prol da disponibilidade dela por muitos outros anos, é nessa chance que devemos nos abraçar! 

Existem vários hábitos de consumo de água que podem ser mudados para fazer uma economia significativa. Então, aqui vão algumas dicas de técnicas para reusar a água em zona rural:

  1. Use o gotejamento na irrigação: A técnica de gotejamento para a irrigação direciona uma quantidade menor de água para as raízes das plantas, o que garante a cada indivíduo a quantidade necessária de água. Para os proprietários que pagam pela outorga, o retorno do investimento é rápido e vem na forma de redução de gastos financeiros. Para quem não paga, fica a tranquilidade de saber que está usando de forma responsável um recurso esgotável.
  2. Cuide do solo: A presença de curvas de nível e uma grande quantidade de matéria orgânica no solo são boas práticas para economizar no gasto de água, pois a vitalidade do solo auxilia na retenção do líquido e reduz a temperatura do solo, diminuindo a perda de água para a atmosfera (evaporação).
  3. Verifique os vazamentos: Em propriedades rurais pode ser muito comum o vazamento de pequenas tubulações. A verificação desses vazamentos deve ser uma prática constante, pois estes constituem um desperdício que pode representar centenas de reais perdidos por mês e um grande problema ambiental. 
  4. Valas de irrigação: Uma técnica muito efetiva para irrigar hortas e até mesmo plantações. Consiste na abertura de uma vala que pode ser entre uma cisterna até o local que se queira irrigar. Nesta vala é importante cobrir o fundo com um material impermeável ou mesmo pedras bem encaixadas. Desta maneira é possível criar um fluxo de água que além de levar água de chuva ou outros reaproveitamentos para irrigação ainda pode contribuir para a elevação da umidade do ar.
  5. Água de limpeza de galpões: O efluente final da limpeza de galpões pode ser direcionado para um local de depósito e posteriormente usado para irrigar plantações, hortas e jardins, pois ela é rica em nutrientes e matéria orgânica. Mas é importante estar atento a possíveis patógenos, caso haja a presença deles, a água não deve ser reusada ou então deve ser filtrada antes. 

 

De fato, essas técnicas alteram nossos hábitos e modos de vida. Experimente executá-las! No início, as novas adaptações parecem ser complicadas. Mas lembre-se, você estará colaborando com o uso racional da água. Acompanhe as publicações para ficar ligado(a) e informado(a) sobre esse tema tão importante que é o Reúso da Água!

 

Siga nossas páginas no Instagram e Facebook!

 

Autores: Projeto de extensão Água se Cuida e AQUATEC, graduandos em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Uberlândia.

 

Inscreva-se Newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter e receba em primeira mão nossas novidades!
[CARREGANDO...]

Parceiros

Veja também

sample52
Thomas Giozza
Thomas Giozza

Técnicas para o Reúso da água em residências

sample52
Thomas Giozza
Thomas Giozza

(Re)uso de água: possibilidade ou necessidade?

sample52
Thomas Giozza
Thomas Giozza

Ofende os bons, quem poupa os maus

sample52
Thomas Giozza
Thomas Giozza

O Bem-Estar da Sociedade: Os Responsáveis

Fale com a redação!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )